O Mito da Criatividade

De onde vem? Como fazer? Será que eu consigo?
12/07/2017
Postado em:
12
jul

Calma galera, criatividade, ao contrário do que muito pensam, não é necessariamente uma coisa que nasce com a gente. É possível desenvolver a criatividade, utilizando técnicas e, principalmente, observando o mundo ao seu redor (e também o que está além do seu pequeno universo, o que é muito importante).

A soma de conhecimento + cultura + Os trapalhões + Funk carioca + o que você quiser, é igual a uma coisa só sua: a bagagem cultural. Você ouve músicas que gosta, do seu estilo preferido, mas isso não é suficiente. Você precisa ouvir tudo! Exemplifico: se você precisa criar um jingle e só ouve punk rock, provavelmente você vai ter dificuldade para compor o jingle; mas se você tem a cabeça aberta, como todo publicitário deve ter, fica mais fácil. É só você ficar atento ao que o seu público está ouvindo e seguir a vibe. O mesmo se aplica a filmes para televisão. Você pode ser fã incondicional de diretor como Tarantino, Kubrick, Guy Ritchie, Zé do Caixão… mas também precisa conhecer a obra dos Trapalhões, do Roberto Bolaños (criador do Chaves, Chapolin, entre outros) que nos fazia rir com coisas super simples. É preciso assistir Vovozona e depois Chaplin. Ouvir É o Tchan e depois Chopin. Ler Machado de Assis, e também a revista MAD. Não basta ser cult, tem que ser plural.

 

Tá, mas onde isso vai me ajudar?

Simples. A criatividade é a solução para um problema, certo? Certo. Como resolvo isso? Criando uma mensagem que se comunique com o público-alvo, que fale a língua dele, que use imagens comuns a esse público e que tenha afinidade com ele.

 

Não entendi…

Espera um pouco, vai entender agora: se usarmos apenas o nosso gosto pessoal para criar, vamos ficar sempre girando sobre o mesmo conteúdo, e você, caro leitor, nem sempre é o público-alvo. Para acertar a mão, vai precisar explorar o universo do seu público, não tem outro jeito.

Em poucas palavras, criatividade é encontrar uma solução satisfatória (na verdade, mais do que satisfatória) para um desafio. E essa solução deriva de combinações inconscientes que surgem da sua bagagem cultural.

Outro princípio básico da criatividade é a vontade. Sim, a vontade. O desejo de criar algo novo, de ter uma ideia que dê orgulho. Essa vontade vem do inconformismo que o publicitário carrega. Para nós, criar é inovar. Não basta ter uma ideia, tem de ser A IDEIA!

E isso passa por um processo longo. Geralmente as melhores ideias surgem na sétima tentativa. A primeira ideia pode ser boa, mas pode ser melhorada. A segunda já é melhor. A terceira então, muito melhor. E assim por diante, até chegar na sétima. É uma regra? Claro que não. Mas com certeza, se você chegar a sétima, você terá várias ideias boas, de repente até mesmo a primeira, para lapidar e transformá-la NA IDEIA.

Criatividade se aprende, se desenvolve e, principalmente, se espalha.